• Helen Mazarakis

Gerenciamento de Projetos e Processos em Saúde

Atualizado: 10 de Jun de 2019

A UXMed participou do III Simpósio de Gestão de Projetos, Processos e Inovação na Área de Saúde, realizado pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa, no Hospital Albert Einstein, nos dias 29, 30 e 31 de maio.


Reunindo palestrantes nacionais e internacionais, o evento contou com a exposição de diferentes cases, modelos de atuação que vêm causando revoluções nos microecossistemas em que estão inseridos, além de nos apresentarem, através da visão sistêmica e estratégica, resultados e possibilidades para alguns dos maiores pontos de dor e atenção das instituições de saúde, sejam elas privadas ou públicas.


O fato é que a fragmentação do serviço de saúde, como ele foi sendo construído ao longo do tempo, como as demandas foram sendo sanadas, muitas vezes, sob o ponto de vista departamental, e como a incorporação de tecnologia foi se dando, fez com que a percepção de valor por parte dos pacientes não se refletisse positiva e a gestão operacional e de custos não se mostrasse efetiva e eficiente.


Durante sua exposição, Éderson Almeida, Gerente do Programa e Academia Einstein de Excelência Operacional, fez uma analogia entre o que é, de fato, a Indústria de Healthcare e o que o consumidor dessa indústria espera comprar, sua visão.

Como efetivamente é o setor de healthcare




Como o paciente espera sua experiência

O exemplo da indústria automobilística, inclusive, é o retrato do que vimos e temos vivido no segmento de saúde e gestão estratégica de processos e resultados, na medida em que têm sido outros setores econômicos a contribuírem para a mudança de mindset e para a aquisição de novas perspectivas na área. Profissionais advindos de áreas como óleo e gás, aeroespacial e automobilística vêm assumindo o protagonismo diante desse processo de transformação, agregando a lógica "projetizada" ao dia a dia das organizações, em que se define e dissemina os conceitos de capacidade x demandas, alinhadas aos objetivos estratégicos da organização, além de exercer o papel de hub de priorização.


Projeto é tempo, dinheiro e pessoas! Se o objetivo não fica claro, se as métricas não são atreladas desde o início e se não for construído para efetivamente gerar valor para as pessoas que estão nele, seja um stakeholder interno ou externo, não há porque ser feito!


Especialmente, quando ouvimos o presidente da United Health Group Brasil (Amil), Claudio Lottenberg, logo na abertura, compartilhar que, até 2025, ele tem como um de seus objetivos igualar o índice de inflação médica (VCMH) à inflação geral do país, torna-se ainda mais urgente que cada prestador, sejam eles pequenos, médios ou grandes grupos de medicina, montem suas operações baseando-se em eficiência, geração de valor para o paciente e performance. Hoje, a Amil, por exemplo, já remunera 30% de sua rede via pacote e espera ampliar esse percentual progressivamente. Assim como a Amil, as principais operadoras e seguradoras do país já apontam na mesma direção, o que deve causar uma revolução no mercado e na lógica atual.


Ao longo das exposições, foi possível acompanhar todo tipo de aplicação, em diferentes níveis de complexidade, portes das instituições, projetos que envolviam, ou não, tecnologia, e diferentes metodologias e abordagens para resolução e problemas; desde Lean Six Sigma, passando pelo Design Thinking, Biodesing, Sprint, chegando ao gerenciamento clássico de projetos. Para cada problema, para cada perfil, uma forma diferente de propor a solução.


Foram três dias intensos e de muita troca de experiências e networking qualificado. Acompanhar como o mercado vem colocando o Triple Aim e Quadruple Aim em prática, incorporando em seus projetos vertentes voltadas à satisfação do paciente através de uma experiência incrível, à racionalização dos custos, à melhoria da saúde populacional e ao bem-estar da equipe assistencial, deram ao Simpósio uma pegada ainda mais interessante e altamente hands-on.


Corrobora também o que a UXMed vem oferecendo ao mercado, que passa por catalisar o negócio dos nossos clientes, prestadores de serviços médicos, nessa transformação do modelo.


Helen Mazarakis É Diretora-Executiva da UXMed | User Experience em Saúde


#sustentabilidadedasaude #eficiencia #gestãodeprojetos #inovacao #uxmed


Mapeamento de fluxos e processos através de metodologias ágeis, desenvolvimento de ferramentas de gestão e tecnológicas, plano de ação global e sob medida e assessoria na negociação proativa junto às operadoras/seguradoras são algumas das entregas. Conheça a UXMed e agende um bate-papo!

0 visualização

© 2023 por Boost360. Criado orgulhosamente com Wix.com